Você já ouviu falar em enoturismo? Esse é um segmento que tem como foco principal as pessoas que amam viajar para desbravar a cultura do vinho pelo mundo. Na América Latina, a Argentina é a principal referência nesse ramo.

Mais do que belas paisagens e a fama de ser a terra do tango, o país vizinho é referência mundial por conta da excelência de seus produtos. Nos últimos anos, vem ocorrendo uma grande mudança no setor vitivinícola, com altos investimentos em tecnologia, prezando sempre a qualidade. Toda essa revolução no setor fez a Argentina se tornar a maior produtora na América Latina e a quinta maior no mundo.

Mas a nossa vizinha não quer ser apenas uma exportadora. Ela quer utilizar isso como uma ferramenta de forte potencial para fomentar ainda mais o turismo. O público brasileiro está entre eles. Não é à toa que ela tem atraído cada vez mais turistas daqui que amam viajar e viver experiências de imersão em vinícolas.

Por que é interessante para os brasileiros?

A grande quantidade de vinícolas, vinhedos e restaurantes espalhados pelo país faz esse roteiro ser perfeito para os apreciadores da bebida, independente das suas preferências. O legal é que para fazer esses passeios não é necessário ser um entendedor do assunto, basta ter vontade de abrir a mente para viver a fundo essa experiência.

Tem também a questão econômica. Como a moeda local, o Peso Argentino, é desvalorizado em relação ao Real, se torna um destino barato quando comparamos com outros países que são referência nesse segmento, como Portugal e Itália, por exemplo. Além disso, tem a proximidade com o Brasil e a não necessidade de se ter um visto para turismo e passaporte para entrar.

Quais os principais destinos?

Quando o assunto é vinho, a Argentina conta com uma diversidade de regiões produtoras e os mais variados tipos. Nesse post vamos mostrar quais são os principais destinos que um viajante deve conhecer quando se visita o país pela primeira vez.

1- Mendoza

É impossível falar sobre enoturismo na Argentina sem destacar Mendoza. Situada ao norte, a cerca de 1.000 Km da capital Buenos Aires, ela é o maior polo vitivinícola do país, responsável por 80% de toda a produção nacional.

Para quem quer vivenciar a experiência bem a fundo, esse é o destino perfeito. Não só porque terá o prazer de degustar dos melhores vinhos do mundo, como também experimentar sobremesas saborosas e conhecer produtos cosméticos que levam a bebida como matéria-prima.

Quando estiver visitando, reserve parte do seu tempo para conhecer, pelo menos, uma das mais de 1.200 bodegas espalhadas pela região. Além de experimentar os mais renomados fermentados, a visita compensará pela vista espetacular da Cordilheira dos Andes, um dos cartões postais argentinos.

Há vários tipos de hospedagens, desde as mais baratas até os hotéis e spas de luxo. Outra opção, talvez a mais interessante para quem realmente deseja viver a fundo a experiência, é passar a noite em uma das vinícolas. Algumas delas oferecem acomodações para os visitantes.

2- Patagônia

Situada no sul, a patagônia atrai muitos turistas por conta do ecoturismo e também por ser onde está localizado a cidade de Bariloche, que possui a maior estação de esqui da América Latina. Mas sabia que ela também está entre os principais roteiros do enoturismo por conta do potencial na produção de vinhos?

É lá que fica uma das bodegas mais famosas, a da Família Schroeder. Durante a sua construção foi encontrado no local um esqueleto de dinossauro. E isso virou uma atração turística. Além de desfrutar dos seus vinhos, conhecer todo o processo, você também poderá fazer uma viagem ao tempo e conhecer uma exposição de fósseis. É uma ótima experiência para quem pretende visitar acompanhado de crianças.

Aproveite para visitar também outras vinícolas famosas da Patagônia, como a Bodega Del Fin Del Mundo, a Noêmia e a Humberto Canale.

3- Salta

Assim como Mendoza, Salta fica na região norte do país, a mais de 1.600 km de distância da capital. Também é considerado um polo do segmento, atraindo muitos visitantes principalmente pelo seu clima europeu. Nada como um bom vinho para curtir o frio, não é verdade?

Além das vinícolas, é um destino interessante por conta da história e da arquitetura colonial. Fica na parte mais alta os vinhedos. Há muitas opções para quem gosta de vinhos feitos com a uva Torrontés. Se for possível, passe a noite em algumas das botegas.

4- Catamarca, San Juan e La Rioja

Se você se considera um enófilo, talvez seja interessante fugir das famosas rotas e buscar outras mais alternativas para descobrir outras possibilidades. Catamarca, San Juan e La Rioja são algumas dicas de lugares para aqueles que querem ir além do óbvio.

A província de Catamarca, por exemplo, fica situada no noroeste do país, tendo a cidade de San Fernando del Valle como capital. Ela também é conhecida por conta das várias vinícolas famosas. Se você gosta de vinhos artesanais, visite a região de Tinogasta.

Já San Juan traz as melhores variedades de vinhos Malbec, Cabernet Suavignion, Merlot e Chardonnay. Visite os vales de Tulum, Zonda, Jachal, Ullum e Valle Fértil, um paraíso para os amantes do vinho.

Por último, porém não menos importante, La Rioja também deve ser colocada no seu roteiro. Situada em um dos lugares mais quentes na Argentina, essa província ao noroeste produz vinhos frutados, que possuem um alto teor alcoólico. São produzidos com uvas Cereza, Criolla e Alicante Bouschet, Torrontés e Barbera.

Dicas para os viajantes

Agora que você conheceu um pouco sobre as principais regiões de enoturismo na Argentina, fique atento a algumas dicas para facilitar ainda mais a sua viagem.

Caso não pretenda fechar um pacote com alguma agência, certifique-se que as vinícolas que pretende conhecer necessitam ou não de agendamento prévio para visitas. Como a maioria funciona nesse esquema, não deixe para última hora para garantir a sua vaga nos tours. Uma dica é pesquisar bastante no site do produtor e entrar em contato com ele em caso de dúvidas.

Quando planejamos uma viagem, é comum a gente procurar informações sobre os lugares que vamos visitar. Assim como procurar saber a necessidade de agendamento, busque informações sobre as atrações. Dessa maneira você irá desfrutar da melhor forma daquele passeio.

Lembre-se que as visitas as vinícolas vão exigir um bom tempo da sua viagem, indo desde a colheita das uvas, conhecer o processo de produção e, por fim, finalmente a melhor parte: a degustação. Por isso o enoturismo é muito interessante quando o foco principal da viagem é esse.

Faça o seu planejamento levando tudo em consideração para poder aproveitar ao máximo a experiência. Considere também o tempo de deslocamento, pois a maioria delas fica localizada na área rural, distante dos centros urbanos.

Se você ainda tem alguma dúvida de como tornar a sua viagem inesquecível, conheça o aplicativo do Intelvino. Além de várias dicas, contamos com um guia de enoturismo da Argentina.