O vinho é com certeza uma das bebidas mais apreciadas por todo o mundo. Seja no restaurante, combinando com uma boa massa ou carne, ou em um jantar romântico intimista, o vinho coloca-se como uma excelente companhia.

Um pouco da história do vinho

Embora seja praticamente impossível saber quando foi inventado, registros apontam que a bebida já era consumida desde cerca de 8000 a.C. Os egípcios já documentavam seu consumo em cerimônias sagradas em 3000 a.C.

Os fenícios foram responsáveis por disseminar o consumo do vinho na Europa Mediterrânea, África Central e Ásia. Desta maneira, foi promovida a disseminação da tão adorada bebida.

Nota-se que na Antiguidade o vinho era usado para regar as mais diversas celebrações religiosas. Havia, portanto, uma relação íntima do homem com a iguaria. Os gregos consideravam Dioniso – ou Baco na mitologia romana – o deus do vinho.

Durante a Idade Média, o fortalecimento da Igreja Católica fez do vinho a bebida preferida da religião. Também por isso, a nobreza pela Europa adotou seu consumo. A partir disso cria-se a imagem de que o vinho é uma bebida refinada e exclusiva.

Afinal, vinho é uma bebida formal?

Se temos um fato sobre o vinho é que ele certamente é a bebida mais apropriada para eventos que exigem certa formalidade. Casamentos, jantares, eventos profissionais, vernissages etc. Entretanto, recentemente temos nos atentado mais à versatilidade e variedade de vinhos que, por isso, podem dar sabores às mais variadas circunstâncias.

Hoje entendemos: a tradicional cervejinha não precisa ser a única opção da sua festa com os amigos. Em temperaturas altas, para aquele churrasco ou confraternização à beira da piscina, vinhos brancos e espumantes são perfeitos.

Os vinhos brancos também podem ser combinados com queijos como gorgonzola, uma grande ideia de aperitivo para uma festa descontraída.

Talvez o vinho de maior versatilidade seja o rosé. Esta iguaria é perfeita para um encontro despreocupado com os amigos, pois combina com diferentes tipos de comidas como:

  • pizzas;
  • tábuas de frios;
  • finger foods;
  • salgadinhos;
  • carnes brancas e carnes vermelhas.

Ainda podemos destacar que o vinho rosé é um ótimo aliado das sobremesas. Frutas, sorbet e tortas têm seus sabores potencializados com a bebida.

O vinho tinto é geralmente associado a noites frias, roupas quentes e fondue. Ainda que essa também seja uma excelente programação para se fazer com os amigos, existem outras alternativas.

A versatilidade do vinho tinto suave contempla os dias quentes que exigem pratos mais leves. Um vinho feito de Pinot Noir é ideal para um jantar mais ameno com os amigos durante o calor.

Esqueça a pretensa formalidade que se espera em uma noite de vinhos. As qualidades da bebida são tantas que ela pode e deve ser consumida em qualquer ocasião que caiba bebidas alcoólicas. Do vernissage no ateliê ao carnaval de rua, alguma variedade de vinho vai se encaixar impecavelmente no seu divertimento. Então, agora podemos responder com tranquilidade: festa combina com vinho sim!

Uma dica importante para desfrutar destes momentos é pensar os rótulos de acordo com o que será servido. Assim, você aproveitará tanto o vinho quanto a comida de maneira integral, sem misturar sabores incompatíveis.

Atente-se também à quantidade de convidados da festa e não utilize muitos rótulos diferentes nestas ocasiões. Priorize sabores semelhantes e complementares.