A história do vinho remonta às antigas civilizações, porém precisar o seu surgimento não é uma tarefa fácil. O fato é que ele testemunhou a evolução da humanidade em todas as épocas.

Assim, não há um só lugar no planeta em que este líquido não seja conhecido ou apreciado. Mas ao longo do tempo o vinho sofreu várias transformações que incidiram nas suas características como sabor e aroma.

As diferentes formas de cultivo, o manejo do solo e o melhoramento genético proporcionaram o desenvolvimento de variedades de uvas adaptadas aos mais variados climas.

O consumo desta bebida não só é prazeroso como também é recomendado pelos médicos. Mas nem todo mundo sabe como apreciá-lo. E uma questão que gera muita controvérsia é esta: pode beber vinho com gelo? Confira!

O vinho e a temperatura ideal

Você sabia que cada vinho tem uma temperatura considerada ideal? Isso quer dizer que as suas características são influenciadas pela temperatura tanto de armazenamento quanto de serviço.

Não é à toa que existe tanta polêmica em relação ao seu consumo com ou sem gelo. A percepção dos componentes do vinho, como o álcool, taninos, açúcar ou acidez podem ser alterados, dependendo da temperatura em que ele é servido.

Por exemplo, o vinho tinto, que normalmente é servido entre 16°C a 18°C, pode ficar alcoólico se a temperatura for maior. Quando não armazenados na temperatura ideal, os vinhos perderão aroma e sabor ou poderão adquirir gosto amargo, ácido ou adstringente, por exemplo.

Uma bebida para ser degustada com os sentidos

O vinho é uma bebida que envolve alguns sentidos para ser degustada. Porém o mais importante é extrair dele todas as sensações que ele pode nos proporcionar.

A visão considera critérios de cor como brilho, limpidez, viscosidade e a efervescência. O olfato mostrará, por exemplo, o nível de maturação da uva. Já o paladar irá avaliar, entre outros critérios, o aspecto da acidez.

Mas não é só isso. Ao apreciar um bom vinho, até mesmo o acompanhamento faz toda a diferença. A escolha do queijo ideal para cada tipo de vinho, a carne, a massa ou o molho que acompanham a refeição poderão influenciar na boa experiência com a bebida.

Afinal, pode beber vinho com gelo ou não?

A resposta para essa pergunta é “depende” do tipo de vinho e da quantidade de gelo adicionado. Antigamente adicionar água ao vinho era terminantemente proibido. Sim, esta era uma prática muito combatida, principalmente na idade média.

Esta proibição se devia ao fato de que a água causaria transformações indesejáveis no sabor da bebida. Hoje sabemos que esta censura tem, na verdade, um fundamento mais científico.

Os vinhos tintos envelhecidos, que possuem alto teor de taninos, não devem ser resfriados em demasia, pois tornam-se ásperos, produzindo sensação de adstringência.

Já o vinho branco, rosé ou espumante (desde que sejam mais leves) podem ser consumidos com gelo, pois a composição destes admite umas pedrinhas. Portanto, para adicionar gelo ao vinho, prefira os que possuem menos estrutura. Procure pelos rótulos “Ice”, já que são elaborados propriamente para isso.

Quer saber mais? Acesse nosso blog e confira outras informações sobre vinhos.